Em mais um debate entre os candidatos ao Governo de Pernambuco, desta vez promovido pela Rádio Liberdade, de Caruaru, e transmitido pela Rádio Folha FM 96,7, hoje, a administração de Paulo Câmara (PSB), que lidera as pesquisas, foi alvo de críticas dos outros candidatos. Além do governador e candidato à reeleição, também participaram o senador Armando Monteiro (PDT), Maurício Rands (PROS) e Dani Portela (PSol).

Entre os assuntos abordados, saúde, educação e segurança foram os mais citados, mas a reforma trabalhista também entrou na pauta dos postulantes. De acordo com as regras da sabatina, os questionamentos foram feitos entre os próprios candidatos, com temas livres ou direcionados, no decorrer dos quatro blocos. O último foi destinado às considerações finais.

Promessas

O senador Armando Monteiro Neto criticou as promessas de Paulo Câmara que não foram cumpridas durante a sua gestão. O socialista, por sua vez, justificou o não cumprimento em função da crise, mas ponderou que “conseguiu fazer o dever de casa”. O pedetista rebateu. “É por isso que o povo não acredita na classe política. Essa facilidade de prometer algo que, em algumas circunstâncias sabe que não pode cumprir”, alfinetou Armando.

Além da crise, Câmara também afirma ser vítima de “perseguição” do governo federal, sob o comando do presidente Michel Temer (MDB). Sobre isso, Maurício Rands afirmou que é preciso parar de “terceirizar a culpa” e que Temer e a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) foram eleitos juntos. “Essa tragédia nacional começou com Dilma”, disse.