Com seis votos favoráveis e duas abstenções, a Câmara de Vereadores de Arcoverde criou na noite desta segunda-feira (06) dezenove (19) novas vagas de mototáxi para o Residencial Maria de Fátima Freire. O projeto de lei foi apresentado pela vereadora Célia Almeida Galindo (PSB).

Votaram favorável ao projeto os vereadores Geraldo Vaz (PSD), Zirleide Monteiro (PTB), Heriberto do Sacolão (PTN), João Taxista (PRP), Cleriane Medeiros (PRTB) e Cybele Roa (PP). Os vereadores Wheverton Siqueira – Siqueirinha (PSB) e Everaldo Lira (PMDB) se abstiveram de votar. A vereadora Luiza Margarida (PMDB) faltou a sessão. Apesar de ter apresentado o projeto, a vereadora Célia Almeida não votou por ocupar a presidência da casa, só votando em caso de desempate.

Com a aprovação do projeto Arcoverde passa agora a contar com 319 mototaxistas distribuídos em 20 pontos de serviço de mototáxi. Até hoje eram 19 pontos.

Em defesa do projeto, os vereadores que aprovaram defenderam a necessidade do Residencial Maria de Fátima ter um ponto próprio de mototáxi e priorizando as pessoas que já faziam este serviço no local, já que lá surgiu um bairro da noite para o dia com cerca de 3.500 pessoas. Para a autora do projeto, a vereadora Célia, a medida era justa e chegava num momento em que o desemprego impera no País e no município. A vereadora Zirleide lembrou que de desemprego a prefeita entendia, pois recentemente demitiu mais de 200 pais de família.

Contra o projeto estavam os mototaxistas legalizados que ainda durante a campanha eleitoral receberam da prefeita do município a garantia de que não aumentaria mais o numero de pontos ou de mototáxis em Arcoverde. A promessa tinha sido feita em 2012 e já em 2013 ela aumentou mais 100 vagas e agora, em 2017, amplia mais 19. O projeto foi aprovado com anuência da prefeitura.  

Publi1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui