O Facebook começou a testar uma nova ferramenta para combater a pornografia de vingança na rede social. Mas para isso a companhia adotou uma estratégia no mínimo inusitada. A gigante da tecnologia pediu aos usuários que mandem nudes para que um sistema de inteligência artificial consiga identificar essas fotos numa tentativa de impedir que elas sejam compartilhadas no futuro.

O software do Facebook cria uma espécie de impressão digital da foto – para que ela possa ser reconhecida na próxima vez que alguém tentar carregá-la na rede social e automaticamente bloquear a operação.

A iniciativa visa permitir que as vítimas em potencial se antecipem aos abusadores, antes que suas imagens íntimas sejam vazadas no Facebook, Instagram e no Messenger.

O Facebook testa a tecnologia na Austrália em parceria com uma agência do governo. Em entrevista à ABC, a chefe da comissão governamental de segurança eletrônica, Julia Inman Grant, contou que a rede social não chega a armazenar as imagens enviadas pelos usuários, mas apenas suas impressões digitais.

A mesma tecnologia tem sido usada há anos para evitar a propagação de pornografia infantil e também é usada por empresas de internet para compartilhar e bloquear material de cunho terrorista.

O Facebook proíbe fotos explícitas e a pornografia de vingança, que é o compartilhamento de imagens e vídeos íntimos sem o consentimento de quem é exposto no conteúdo. Mas este ainda é um grande problema na rede social. Documentos vazados este ano revelaram que a empresa registra cerca de 54 mil casos por mês.

Publi1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui