Mariah Carey entrou para a lista de nomes famosos acusados de assédio sexual. De acordo com o site TMZ, um ex-segurança da cantora está ameaçando processá-la pelo seu comportamento inadequado na época em que era chefe dele.

A americana recebeu os serviços da empresa comandada por Michael Anello entre junho de 2015 e maio de 2017. Segundo o proprietário, Mariah teria se insinuado para ele de forma constrangedora. Em um episódio narrado por Michael, a cantora teria chamado ele para o eu quarto, durante uma viagem  Cabo San Lucas, no México, aonde ela o recebeu de camisola transparente e aberta.

O segurança conta que tentou deixar o local, mas foi impedido pela artista, que exigiu que ele movesse uma mala, motivo pelo qual ela o chamou inicialmente. Em seguida, ele saiu do quarto e afirma não ter havido contato físico entre os dois.

Além disso, ele alega que ela o agrediu verbalmente referindo-se a ele e seus funcionários por nomes de grupos de ódio como “nazistas”, “skinhead” e supremacistas branco”. Segundo Michael, Mariah “queria estar sempre cercada por caras negros, e não pessoas brancas”. Outra acusação feita por ele é de que a cantora teria prometido mais dois anos de contrato, resultando num lucro de 511 mil dólares para empresa, mas que isso terminou não sendo cumprido.

De acordo com informações do TMZ, a equipe da cantora já estaria negociando com o advogado do segurança e teria até oferecido um valor a ser pago, porém Michael Anello não teria ficado satisfeito.

Publi1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui