Zirleide questiona atraso dos consignados e governo joga culpa no Funpremarc

0
28

Na última segunda-feira (28) a vereadora Zirleide Monteiro (PTB) questionou o governo da prefeita Madalena Britto (PSB), sobre o atraso no repasse do dinheiro dos consignados de aposentados e ativos da prefeitura, denunciado no site Folha das Cidades sábado passado. A parlamentar trabalhista questionou “a onde estava o planejamento da prefeitura que colocava pelo menos 60 servidores com os nomes negativados” devido o atraso no repasse do governo para a Caixa Econômica Federal.

O tema gerou polêmica na Câmara Municipal, que funciona provisoriamente no prédio do Fórum antigo enquanto realiza uma reforma. A bancada do governo retrucou a fala da vereadora trabalhista. O líder do governo, vereador Everaldo Lira (PMDB), chegou a recomendar a vereadora que se informasse melhor dizendo que os consignados que estavam em atraso eram dos aposentados e “aposentado não é servidor”, que fosse cobrar do Funpremarc (Fundo de Previdência Municipal de Arcoverde). Recentemente a liderança do governo disse que contratados também não eram servidores, apesar da prefeitura pagar como tais pelos serviços prestados.

Já a vereadora Célia Galindo (PSB), presidente da Câmara, também defendeu o governo e disse que tudo não passou de um pequeno atraso de 5 dias, mas que isso não era motivo para polêmica pois já ocorrera em outros governos. Seguindo o tom que sempre adotou, a vereadora Zirleide Monteiro disse que estava ali para fiscalizar o Governo de Madalena e que em relação aos governos passados caberia a quem estivesse na época na casa James Pacheco ter feito, lembrando que a vereadora Célia era uma das que cobrava isso no passado.

Em um aparte, a vereadora trabalhista disse que nunca veio a Câmara para fazer críticas ou acusações falsas, sem dados, como chegou a questionar a liderança do governo. “Não sou mulher de mentiras, trago para aqui a verdade, mesmo que não agrade a quem defenda o governo”, ressaltou Zirleide Monteiro.

Em seu discurso, a vereadora Zirleide ainda aproveitou para cobrar da Secretaria de Saúde as fitas para medição da glicemia. Segundo a filha de uma paciente diabética, há cerca de um ano que as tais fitinhas estão faltando e na Secretaria dizem que não há previsão de chegarem.

Publi1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui