Enquanto a propaganda oficial diz que o prefeito da Pedra, Osório Filho (PSB), está fazendo a maior Festa de Reis, os servidores municipais do município, estariam incluídos também  os professores que tem os recursos carimbados do Fundeb que chegaram plenamente em dezembro, estão sem ver a cor dos seus salários de dezembro.  A festa pra muitos deles tem sido a de cobradores em suas portas devido ao não recebimento dos seus salários.

O fato estaria acontecendo sob o silêncio do Ministério Público de Pernambuco, através da promotoria da Pedra, que ainda em 2017 assinou com o prefeito um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) que recomendava e impedia a realização de festas, eventos enquanto servidores ativos e inativos, contratados ou comissionados estiverem com salários atrasados. O Sindicato dos Servidores do município chegou a acionar o MP e devido isso os professores teriam recebido seus salários. O sindicato cobra uma posição do MP quanto aos salários dos demais servidores.

Nas redes sociais muitos servidores estão reclamando e cobrando providências, principalmente os docentes porque os recursos do Fundeb são recursos federais, chegaram todos em dezembro e são direcionados exatamente para pagar seus salários (60%) e investir na Educação (40%).

Segundo a popular Wanessa Cavalcanti, o descaso é um retrato da situação da Pedra aonde diz que “o prefeito só luxando nesse período de festas e os funcionários passando aperto, sem receber seus salários atrasados. Isso é um absurdo!”.

Já outra popular Michelli Souza alerta a população dizendo que “Não podemos nos calar diante dos fatos, temos que aprender levantar voz. Estamos no nosso direito de cobrar satisfação, afinal votamos confiante na mudança, no trabalho, e por mais uma vez ver nossa confiança depositada a um gestor que se fez solidário a trabalhar por sua tão honrada cidade, deixar a mercê e aos caos”.

Para Kátia Magalhães, “a justificativa fica na falta de compromisso com o funcionário” e para o popular Rômulo Burgos “…Uma coisa é fato: o dinheiro sempre existiu, mas a máquina pública não agüenta esse inchaço de cargos comissionados”.

Enquanto servidores, professores que viram o Fundeb chegar no caixa da prefeitura, mas não em seus bolsos, sofrem sem seus salários, a prefeitura entra hoje, sexta-feira (4), no segundo dia da Festa de Reis que está consumindo mais de R$ 300 mil em atrações, levando ao palco principal Luan Douglas e Luan Estilizado e fecha a festa amanhã com Ivo Martins, Dorgival Dantas e Fulô de Mandacaru. Festa pra uns, tristeza para outros.

A representante do Sindicato dos servidores, Valéria Lima, informou no início da tarde que os professores conseguiram receber seus salários após acionarem o Ministério Público e anunciarem uma panfletagem durante a festa. Temendo receber notificação do MP, a prefeitura correu para pagar somente aos professores. Os demais servidores continuam sem data prevista para receber.