Preço do óleo diesel passará a ter reajustes quinzenais

Em nota divulgada nesta terça-feira (26), diz que manterá o uso dos mecanismos financeiros. Os reajustes, afirma a companhia, serão feitos "em períodos não inferiores a 15 dias". A estatal disse que manterá o acompanhamento das cotações internacionais, com margens para remunerar os riscos de operação.

0
124
A Petrobras anunciou nesta terça-feira (27) mudanças em sua política de preços para o diesel, que passará a ter reajustes em um prazo mínimo de 15 dias. A decisão foi aprovada pela diretoria da estatal em reunião na segunda-feira (26).
É a segunda mudança na periodicidade dos preços desde que a política de reajustes diários foi estabelecida, em 2017. Este modelo foi bastante criticado em 2018, em um processo que culminou com a greve dos caminhoneiros. No início do ano, a estatal anunciou que poderia segurar reajustes do preço do diesel – como já vinha fazendo com a gasolina -usando mecanismos de proteção financeira para evitar prejuízos.
Em nota divulgada nesta terça-feira (26), diz que manterá o uso dos mecanismos financeiros. Os reajustes, afirma a companhia, serão feitos “em períodos não inferiores a 15 dias”. A estatal disse que manterá o acompanhamento das cotações internacionais, com margens para remunerar os riscos de operação.
Enquanto o governo anuncia aumento do diesel de forma mais constante, pelo WhatsApp multiplicam-se os grupos para discutir possível paralisação dos caminhoneiros no próximo fim de semana. Mas, oficialmente, entidades ligadas à categoria negam que haverá greve como a que parou o país em maio passado. Os próprios sindicatos estimam mais de 200 grupos no aplicativo de mensagens. Mas o que há de concreto, até agora, é uma carreata organizada pelo Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos de São José dos Pinhais (Sinditac), no Paraná, no sábado que vem. Várias cidades devem fazer o mesmo.