A derrota para a Ponte Preta, por 2×0, nos Aflitos, fez o Náutico chegar ao sexto jogo seguido sem vitória na Série B do Campeonato Brasileiro 2020 e o quinto sem balançar as redes. Após o tropeço, quem esteve na entrevista coletiva pelo Timbu foi o auxiliar Juninho Lola, que substituiu o técnico Gilson Kleina – o comandante alvirrubro não esteve à beira do gramado por conta da expulsão na rodada anterior da competição, perante o América/MG.

Na avaliação do auxiliar, o Náutico foi melhor na primeira etapa, mas não soube aproveitar as oportunidades criadas. “No primeiro tempo, a gente foi bem superior a Ponte Preta. Tivemos 15 finalizações, um pênalti a favor (não dado) em cima de Willian. Mas não fizemos o gol. Só acabamos com jejum de gols e vitórias de uma forma: trabalhando. Tivemos hoje a chance de sair na frente, mas precisamos trabalhar para reverter a situação”, afirmou Juninho.

Juninho também ressaltou que uma das causas para o mau momento é o fato de o time sofrer para manter a base titular por conta dos recorrentes desfalques por lesão. “Quando chegamos, o time teve uma evolução boa, mas perdemos jogadores importantes nos últimos jogos e houve a caída. Quando isso acontece, você fica sem opções até no banco de reservas. Mas hoje, com a volta do pessoal, o time reagiu. Tivemos muitas finalizações, mas infelizmente não transformamos isso em gol”, declarou.

O próximo compromisso do Náutico pela Série B é diante do Oeste, na terça (19), na Arena Barueri. O Náutico está na 15ª posição do torneio, com 15 pontos, e, dependendo do fechamento da rodada, corre o risco de entrar na zona de rebaixamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui